TSE confirma cassação de Maria Valdiná, deputada estadual de Sergipe, por abusos de poder

Assumirá o cargo Maria das Graças Souza Garcez, eleita por média com 16.179 votos

Assumirá o cargo Maria das Graças Souza Garcez, eleita por média com 16.179 votos
Cassação

Decisão

Na sessão de julgamentos do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ocorrida da última terça-feira (21), o plenário do Tribunal confirmou a decisão do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE-SE) que cassou o mandato da deputada estadual Maria Valdiná Almeida (Podemos) por abusos de poder econômico e político nas eleições de 2018.

O Plenário considerou que a política e o marido, prefeito de Tobias Barreto (SE) na época, utilizaram a máquina municipal em favor da candidatura de Valdiná. Os ministros constataram, em linha com o entendimento emanado pelo TRE-SE, que a candidata teria recebido doações de fontes não identificadas, o que também teria afetado a igualdade na disputa eleitoral.

Com isso, o TSE determinou a anulação dos votos recebidos por Valdiná e a retotalização da votação proporcional para o cargo, com o imediato cumprimento da decisão pela Corte Regional. Além de confirmar a cassação de Valdiná, o Tribunal manteve a inelegibilidade dela e do marido por oito anos, a partir do pleito de 2018. 

Retotalização

No final da tarde de ontem (22), precisamente às 17 horas e 28 minutos, por ordem do presidente do TRE-SE Des. Roberto Porto, a Secretaria do Tribunal procedeu à retotalização dos 1.279.582 de votos das eleições gerais de 2018.

Com a anulação dos votos de Valdiná, a então suplente Maria das Graças Souza Garcez, que recebeu 16.179 votos pela coligação Para Renovar Sergipe, passou a constar no sistema de apuração na condição de eleita por média. Como deputada eleita, Maria Garcez e assumirá a vaga na Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe.

Últimas notícias postadas

Recentes