Por um AGOSTO DOURADO: AMAMENTAÇÃO vale OURO!

A cor dourada sinaliza o valor do leite materno

A cor dourada sinaliza o valor do leite materno

A  Lei nº 13.435, de 12 de abril de 2017, instituiu o Mês do Aleitamento Materno: AGOSTO. eis que passa a existir o AGOSTO DOURADOA cor dourada sinaliza o valor do leite materno. Devido à importância do tema, a Organização Mundial da Saúde classifica o leite materno como alimento de ouro para a saúde das crianças.

A recomendação da Organização Mundial de Saúde, do Ministério da Saúde e da Sociedade Brasileira de Pediatria é a seguinte: aleitamento materno desde a sala de parto, exclusivo e em livre demanda até o 6º mês, estendido até 2 anos ou mais.

É o único alimento capaz de oferecer todos os nutrientes na quantidade exata de que a criança precisa. A superioridade orgânica do leite materno o torna de melhor digestibilidade. É também o alimento mais completo para promover o crescimento e o desenvolvimento infantil. Crianças amamentadas estão mais protegidas contra doenças infecciosas.

O leite materno é um alimento vivo, econômico, que está sempre pronto e sem contaminação. Ele muda de composição, sabor e volume durante todo o período de amamentação, inclusive do começo para o final da mamada e da manhã para a noite. Não há dúvidas sobre os benefícios fisiológicos, psicológicos, socioeconômicos e culturais da prática do aleitamento materno para a díade mãe/bebê.

Sabe-se que a amamentação, isoladamente, é a estratégia de maior impacto, capaz de salvar a vida de cerca de 13% das crianças menores de 5 anos em todo o mundo por causas preveníveis. O estímulo à amamentação exclusiva salva aproximadamente 6 milhões de crianças por ano.

Há vinte anos, entre os dias 1º e 7 de agosto, ações em todo o mundo são voltadas à Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM). Diversas organizações governamentais e não governamentais, comunidades científicas e populares, grupos religiosos e outros se mobilizam e são mobilizados para promover, proteger e apoiar a amamentação.

Com o apoio de todos, com as parcerias éticas estabelecidas, com as famílias, a sociedade, os órgão governamentais, as empresas, a imprensa e os profissionais de saúde, teremos condições de oferecer às crianças de hoje a meta de ser a geração dos 100 anos. Uma geração cidadã, íntegra e saudável.

BENEFÍCIOS DA AMAMENTAÇÃO

1. O leite materno é o alimento mais completo e equilibrado, pois atende a todas as necessidades de nutrientes e sais minerais da criança até os 6 meses de idade.


2. Fácil de ser digerido, provoca menos cólicas nos bebês.





3. Colabora para a formação do sistema imunológico da criança, previne alergias, obesidade e intolerância ao glúten.


4. Contém uma molécula chamada PSTI, responsável por proteger e reparar o intestino delicado dos recém-nascidos.


5. O momento da amamentação aumenta o vínculo entre mãe e filho e colabora para que a criança se relacione melhor com outras pessoas. 



6. Previne a anemia.





7. A sucção ajuda no desenvolvimento da arcada dentária do bebê.




8. Quando o ômega 3 está presente no leite materno, o que varia de mulher para mulher de acordo com sua alimentação, ele ajuda no desenvolvimento e no crescimento dos prematuros nos primeiros meses de vida.




9. Ajuda no desprendimento da placenta, contribuindo para a volta do útero ao tamanho normal. Com isso, também evita o sangramento excessivo e, consequentemente, que a mãe sofra de anemia. 




10
. Protege a mãe contra o câncer de mama e de ovário.



11. Estudo publicado no American Journal of Obstetrics revela que a amamentação reduz o risco de a mulher desenvolver síndrome metabólica (doenças cardíacas e diabetes) após a gravidez, inclusive para aquela que teve diabetes gestacional.




12. A amamentação dá às mães as sensações de bem-estar, de realização, e também ajuda a emagrecer, pois consome até 800 calorias por dia.

13. É de graça, natural, prático e não desperdiça recursos naturais. 



14. Está sempre pronto para ser transportado e ingerido (não precisa nem aquecer).


15. Bebês que mamam exclusivamente no peito até os seis meses têm menos risco de desenvolver asma e artrite reumatoide e recebem uma proteína que combate vírus e bactérias do trato gastrointestinal.

Últimas notícias postadas

Recentes