Projeto Eleitor do Futuro


O Tribunal Regional Eleitoral vem trabalhando no desenvolvimento do Projeto Eleitor do Futuro, com o objetivo de despertar o exercício da cidadania que vai além do ato de votar, esclarecer dúvidas de um modo geral no que diz respeito ao processo eleitoral e as funções, que serão exercidas pelos candidatos caso sejam eleitos.

Acreditamos que através da educação será possível conscientizar nossos futuros eleitores da importância do seu voto. Isso porque a participação político-eleitoral, num sentido mais amplo, vai além do ato de votar. É necessário que o cidadão assuma responsabilidades e práticas que ampliem a sua consciência política. Nesse caso, o acesso a informações adequadas sobre política e eleições constitui-se em um dos elementos fundamentais para que haja compreensão e envolvimento no processo eleitoral como um todo.

Foi com essa preocupação que o então Ministro do Superior Tribunal de Justiça, Sálvio de Figueiredo Teixeira, quando Corregedor do Tribunal Superior Eleitoral – TSE, idealizou o Projeto Eleitor do Futuro, que foi apresentado ao Colégio de Corregedores dos Tribunais Regionais Eleitorais do Brasil em 2002, sendo aprovado e implementado por alguns Estados da Federação.

Em Sergipe, tal projeto foi implantado pelo Tribunal Regional Eleitoral, através  da Escola Judiciária Eleitoral de Sergipe, que realiza palestras educativas que objetivaram incentivar os futuros eleitores para prática da cidadania, fornecendo conhecimento histórico acerca do processo eleitoral brasileiro.

Além de conhecimentos básicos sobre os desafios enfrentados pelo país na transição do período ditatorial (Estado Novo de Getúlio Vargas) para uma prática democrática (reinstalação da Justiça Eleitoral em 1945), os estudantes são estimulados a refletir sobre o papel do cidadão na construção de um país melhor, sobre o direito ao voto, sobre o significado da Democracia, entre outros pontos fundamentais para uma boa formação cidadã.

A Escola Judiciária Eleitoral também auxilia as escolas nas eleições dos representantes de turma, inclusive com empréstimos de urna, e na diplomação dos eleitos, a fim de demostrar na prática como ocorre todo o processo eleitoral.

Gestor Responsável: Escola Judiciária Eleitoral +